terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Carta aos meus amigos.


Tenho pensado muito em vocês. Todos. Os de perto, e os de longe. Em vocês. Que, por tantas vezes, aliviam o peso da minha existência. Que decidiram burlar minhas precariedades e debruçaram-se a conhecer meu desajeitado lado B. E depois de terem conhecido, ainda assim, optaram em ficar. Que gostam de mim do jeito que eu sou ou exatamente porque assim eu sou. Vocês. Que tiveram a sensibilidade de entender a minha intensidade acenando, sinalizando essa necessidade, teoricamente, tão particular. Vocês que, passando por mim, arquitetaram a forma mais completa e absoluta de permanecer: sendo. Sim. Porque apenas morar dentro de mim, era pouco. Ter vocês apenas na superfície do meu interior não bastava. E hoje quem é em mim, o sabe, o sente. Ser no outro é muito mais do que estar. Quem está hoje, amanhã pode não estar mais. Ao contrário, quem é no outro dificilmente deixará de ser, porque quando isso acontece, as essências se fundem em uma coordenação que independe das divergências, da religião, da ideologia e do tipo sanguíneo. Talvez isso exceda a compreensão humana, mas é mesmo assim que os sinto: tão em mim quanto eu mesma.

Esse texto foi escrito por Mah mas expressa tudo aquilo que sinto por cada um dos meus amigos ^^

~♥~

2 comentários:

crika disse...

Que lindoo mahh...
tenho refletido muito tambem e sobre muitas coisas....amigos, sentimentos, escolhas...
e muitas vezes sou levadas a cantos de mim que eu mesma desconhecia...

Mas isso tudo é Deus agindo em nós e nos fazendo conhecermos cada vez mais de nós mesmos, para que assim possamos conhecer o outro e saber compreende-lo e ama-lo da forma como é, com suas limitaçoes e deficiencias...ama-lo em seu jeito unico de ser.

Aprendo muito com vcs a cada dia. Vcs são presentes de Deus em minha vida.

bjao

Mah disse...

= )

é assim q sinto os meus amigos verdadeiros!

Mari, coloca meu nome completo...rsrs..

Marianne Rocha

Beijo!